quarta-feira, 10 de março de 2010

Curso de Alemão ou Sobre Como Enlouquecer na Terra de Lutero


Olá, meus queridos 13 leitores!

Eu sei, eu sei. Tenho estado absolutamente sumida. O problema não tem sido a falta de ideias, assuntos ou acontecimentos, e sim de vergonha na cara para vir aqui e escrever sobre tudoissoqueestáaiacontecendoagora.

Não prometo que vou escrever tudo o que aconteceu desde o último post. Acho melhor trazer o blog de volta à vida falando do que é mais presente no meu dia-a-dia: o curso de alemão.

Estou quase terminando o curso de integração, que é em parte patrocinado pelo governo alemão para os imigrantes que aqui chegam. Faltam mais ou menos dois meses de aula e uma prova, e então eu terei o certificado B1. Pelo menos eu acho que vou ter, já que acredito que eu esteja indo bem no idioma. Veja bem, "ir bem num idioma" não significa o mesmo que falar fluentemente. Pelo menos, não pra mim. Eu consigo entender tudo que as professoras falam em sala, mas nas ruas a conversa é outra. A linguagem coloquial é mais rápida, às vezes abreviada, e muitas vezes enrolada. E olha, eu só deixo se identificar comigo quem já aprendeu algum idioma além do inglês. Inglês no Brasil a gente não aprende, pega por osmose. Minha mãe, de tanto assistir House, The Mentalist e CSI, já entende um bocado de coisa sem nunca ter estudado inglês. Mas uma outra língua como alemão, russo, francês, estoniano, chinês - isso sim é barra pesada. Eu me solidarizo com você, Bruder. (A propósito, espanhol e italiano também não contam, viu? São muito parecidos com o português.)

Voltando ao curso de alemão, a gente se diverte muito, seja odiando em conjunto o idioma de Goethe, seja rindo das nossas próprias dificuldades e deficiências. É comum a gente cair na gargalhada quando alguém está lendo um texto em voz alta e se depara com palavras como Verkehrsverbindung ou Gleichberechtigung. A sequência de reações do dito leitor é quase sempre igual: surpresa (com aquele monte de letras amontoadas juntas), descrença (de que exista no mundo uma palavra assim), ódio (de quem inventou o termo), desespero (por lembrar a cada segundo que é preciso aprender alemão) e, finalmente, coragem (de meter a cara e ler essa joça de qualquer jeito, seja como for!). A palavra sai, invariavelmente com a pronúncia incorreta, mas não é que a gente aprende, justamente porque foi tão difícil?

Uma das coisas que me irritam um pouco no alemão é o fato de ter um verbo muito específico para cada ação. É claro que essa minha intolerância é só porque eu ainda não domino o idioma. Tenho certeza de que, mais para frente, eu vou adorar essa especificidade. Mas, no momento, lembrar de tudo é muito difícil! Por exemplo, em alemão existe um verbo para "colocar algo sobre uma superfície": stellen. Quando o objeto já está colocado, ou seja, se ele repousa sobre uma mesa, por exemplo, aí o verbo é stehen. Porém, atenção! Esses verbos você só usa se for um objeto com base, ou seja, algo que fica em pé, como uma caixa ou um copo. Se for um lápis ou uma flor, os verbos são, respectivamente, legen e liegen. Aaaaaaaaargh!

Outra coisa que às vezes me deixa doida é a pontuação. Pois é. Em português, as orações subordinadas nunca são precedidas por vírgulas. Inclusive é um erro que me dá arrepios, quando vejo um. Brasileiro adora escrever pela internet coisas como "Eu acho, que...". Essa vírgula aí é um erro. Mas, em alemão, tem que ter essa vírgula: "Ich bin die Meinung, dass...". Ou seja, vocês têm noção de como isso me incomoda?

Mas tudo bem! Sem pressa, certo? Outro dia eu recebi uma visita 100% alemã e eu conversei com ela durante duas horas e meia apenas em alemão! Sei que cometi muitos erros, e algumas vezes eu fiz cara de dúvida e ela me ajudou. Mas o fato de ter entendido e de ter sido entendida me fez ganhar a minha semana! É muito bom olhar para trás e para o hoje e constatar que estamos progredindo.

E sabem o que é engraçado? Eu estou lendo o livro A Menina que Roubava Livros, que comprei em inglês aqui. Quem já leu sabe que tem algumas frases e palavras soltas nesse livro que são em alemão, porque a história se passa aqui durante a 2ª Guerra Mundial. Para que todos entendam o que os personagens falam, o autor às vezes faz os personagens dizerem suas frases duas vezes, uma em alemão, outra em inglês. Acreditem, às vezes me irrita um pouco, tanto por eu já ter entendido o que havia sido dito, como por achar meio nonsense a pessoa ficar dizendo a mesma coisa duas vezes. Mas eu confesso: ao mesmo tempo em que tenho esse pequeno prazer de entender algumas coisas, eu ainda consigo aprender algo novo. Isso, porém, vocês não contam para ninguém.


*****

O próximo post será sobre as curiosidades que eu aprendi sobre os países dos meus colegas de curso!

8 comentários:

Anne disse...

Oi Junia, primeirona! Só pra dizer que vc devia postar mais vezes, me sinto muito sozinha neste mundo dos blogs, só eu que escrevo...


ashis (português falando "Assis")

Morpheu disse...

Voce falando alemao eh taooooo bonitinhaaaaaaaaaaaa! tao cuti cutiiiiii.... tao gatinha!

outra palavra pra sua colecao de palavras em alemao =P :
Staatsangehörigkeit

neoqeav


"turtiven"

Liviavaz disse...

Eu ia dar uma de David e falar: que bonitiiiiiiiiinha vc falando alemão. Mas o intruso do seu marido chegou primeiro. hahahaha
Estou fazendo curso de LIBRAS e é do mesmo jeito que vc disse. Dentro da sala eu converso que é uma beleza. Quando vejo alguem conversando em Libras na rua quase nao entendo, pq eles fazem os sinais muito rápido e eu nao 'pego' quase nada.
Mas com a prática a gente chega lá, né?

'froadur'

Debby disse...

Awwwwwwwww! *-*
Fico feliz com o seu avanço no alemão, beiba!
Vc tem uma certa facilidade com idiomas que eu gostaria muito de ter!
Cada conquista deve mesmo ser comemorada! ^^'
Bjoks

Acytolde ( deve ser acetona em alemão :P)

Carol disse...

Tô comentando JU!!! rs
Tirou a teia de aranha, agora tem que dar continuidade...rs
Te entendo (eu já fiz francês...rs.
Próximo post promete!!!
bjs


matsurbi

Lore H disse...

Ô toitadinha! Q dificuldade hehe, mas c viu, c consegue, c sabe mineirês, miguxês... c é boa nisso! :p

Kelzi disse...

resolveu aparecer!!!!
que bom que vc já está conseguindo entender um pouco de alemão, daki a pouco já estará conversando com todo mundo na rua!

bjos


ressera

Natália disse...

O melhor foi ver as reações de quem se depara com uma palavra daquelas... Aqui no Brasil, tem gente que reage do mesmo jeito quando encontra uma palavra em português, mesmo ;P




"pallito"
Que simpático =D
(é o de frutilly)