segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Aquele com o instrutor poliglota

Após 7 meses de ócio total aqui neste blog, começo mais uma tentativa de voltar à programação normal.

Durante esse período de hibernação, muita coisa aconteceu: terminei o curso de alemão, passei na prova, tirei férias, fomos à Itália, recomecei o curso de alemão, teve Copa do Mundo, o Brasil perdeu e eu tive que tirar a bandeira pendurada na janela da cozinha, a vó do David esteve aqui na Alemanha, LOST acabou, minha cunhada odiou, eu engordei, emagreci, engordei de novo, tivemos um rendez-vous frustrado em Barcelona com a Gabi e o Guiga, conheci gente nova, ganhei um Kindle (!!!), descobri que quatro amigas e uma prima estavam grávidas, duas delas já tiveram os bebês, comecei academia, esqueci umas coisas, aprendi outras e, espero, sou uma pessoa diferente do que era em março.

Como um aluno preguiçoso que só lê e resume o último capítulo de Dom Casmurro para aquele trabalho da 8ª série, vou reviver o blog com o assunto mais fácil e recente pra mim: a academia.

Hoje foi meu primeiro dia (eu disse que era recente!). Eu estava toda apreensiva porque teria que ir sozinha, e já imaginava o professor filosofando em alemão sobre os músculos e a melhor forma de desenvolvê-los enquanto eu incorporava aquela atitude de recepcionar psicopatas que vocês já conhecem. Além disso, tinha a preocupação de não estar familiarizada com a etiqueta de academia aqui na Alemanha. Minhas duas cunhadas já se matricularam em academias aqui e me deram algumas dicas, mas eu ainda ficava meio ressabiada.

Uma das coisas que me encucavam era que eu nunca via nas ruas daqui uma das coisas mais comuns no Rio: mulher andando na rua trajando roupa de ginástica. Talvez isso seja comum em outras partes do Brasil também: você vê gente assim no supermercado, na farmácia, na padaria, no shopping... (homens também devem fazer isso, mas eles malham com o mesmo tipo de roupa com que vão comprar pão, então fica difícil especificar)

Descobri depois que o motivo é que aqui quase todo mundo toma banho depois da academia ou então troca de roupa (veste calça jeans e tudo) e só vai tomar banho em casa. Então eu já me senti uma ET indo pra academia de calça preta de malha fina e casaco fino tipo esportivo (num frio de 5 graus). "Essa aí é professora de educação física", devem ter pensado de mim. Acontece que eu moro muito perto da academia e não vou pagar 50 centavos por uma ducha de 5 minutos (é, o banho na minha academia é pago, mas é porque o plano é baratinho) nem vou vestir calça jeans por cima do corpo suado só pra andar 10 minutos até o conforto do meu apartamento.

Bem, chegando à academia, fui falar com o professor que estava na recepção - aqui é chamado de personal trainer, mesmo sendo para todos os alunos. Eu tinha marcado para fazer a minha série, e até então só tinha encontrado a menina com quem eu me inscrevi na academia. Então esse professor era novo. Avisei que era nova, que não tinha a pulseirinha eletrônica ainda, e que tinha marcado pra fazer a minha série. Ele me deu uma ficha para preencher meus dados de saúde (outra diferença: nada de exames caros que você tem que fazer para começar. Minha teoria é que os alemães, como em todas as outras áreas, veem isso de forma muito prática: aos [gulp] 29 anos, eu já sei muito bem quais são meus problemas de saúde, e se eu mentir na ficha quem vai se dar mal depois sou eu, certo?) e eu preenchi tudo, só deixando o que não tinha entendido. Fui perguntar a ele, e ele me pergunta: Bist du aus Spanien oder Portugal...? Disse que era brasileira e o instrutor simplesmente começa a falar português comigo! Tipo assim, ele nem avisou primeiro que falava português - ele apenas começou a me explicar as coisas na minha língua materna e na maior sem-cerimônia! Eu esqueci um pouco o papel e fiquei meio abobalhada, e fiz a pergunta mais óbvia e idiota: "Você fala português?" E não é que o cara já esteve em Recife para aprender Capoeira e fala um português até bom? Ele me explicou algumas coisas em português e outras em alemão, mas não foi complicado. A maioria dos aparelhos eu já conhecia do Brasil. Depois, na esteira, eu fiquei rindo da 'coincidência' de ter encontrado um instrutor que fala português... e fiquei pensando que Deus é mesmo muito fofo, por ter, até nisso, me ajudado. É impressionante como umas coisas bobas e pequenas assim conseguem deixar a gente apreensiva aqui.

Mais algumas curiosidades e diferenças da academia:
-Por € 5,99/mês eu posso beber à vontade umas bebidas bizarras que tem lá. Mas eu não "assinei" esse serviço porque não sou muito chegada nos sabores de fruta que o pessoal gosta aqui.
-Na academia não é permitido usar o mesmo tênis com o qual viemos andando pela estrada afora. Tem que levar um tênis na bolsa (não pode deixar lá, apesar do vestiário imenso com uns 372 armários) e trocar para fazer exercícios. O tênis que você usa pra ir pra casa é problema seu, mas é melhor aparecer com um limpinho na bolsa no dia seguinte.
-É obrigatório o uso de uma toalha de rosto em todos os aparelhos. A gente usa pra sentar em cima ou apoiar o braço, a barriga, o tórax... onde suar, é ali que ela vai. E, na ergometria, é como no Brasil: papel toalha e spray com álcool. Achei muito engraçado umas senhoras mais velhas com toalhinhas floridinhas e estampadinhas.
-Não tem Ana Maria Braga passando na TV!!! hahahaha

O resto é exatamente como nas academias do Brasil: os sarados, os exibidos, os mais velhos, os na deles, as amigas tagarelas, as senhoras, os professores simpáticos e as recepcionistas ligeiramente patricinhas mas legais.

*****
É, acho que pra um ensaio de retorno, até que não está mal. Voltarei em breve para contar alguns eventos importantes que já passaram, como a viagem à Roma (nossa nova cidade-favorita-pra-sempre-enquanto-dure), o Kindle e meu novo priminho. Mas com calma. Não posso ir muito rápido ou irei assustar meus 13 leitores. :)

11 comentários:

Anônimo disse...

Otima volta meu amor, eu sou seu maior fan! E nao vejo a hora de ler mais posts seus sobre as suas aventuras :)

yamioh

David

Anne disse...

Quando fomos à Interlaken entramos num restaurante pequeno e estávamos conversando em português quando a atendente veio anotar os pedidos e já perguntou em português o que nós queríamos. Ainda na mesma cidade fomos à uma loja de relógios e a dona da loja também falava português. Vai ser difícil desbancar Roma como favorita. Aliás, já sei faça como eu, Roma é a favorita no quesito "melhor lugar para comer na Europa" e Paris fica com o "melhor lugar da Europa para passear, ver, andar, morar"...


carid

Natália disse...

Aeee, voltou!!!
Bem legal mesmo o instrutor falar português! =)
Aguardarei os próximos posts o/


labless

Débora Oliveira disse...

Eeeeeeeeeeeeeee, tirou o mofo daqui, hahaha!
Adorei o fato dele ter vindo aqui no nordeste! x)
É lindo o cuidado de Deus nos mínimos detalhes com a gente, né?

Ps.: foi ótimo relembrar a sua história com o entregador hahahaha!

Bjoks

Ps²: Meu último post no blogé a sua cara, passa lá pra conferir!

rehockst

Jenny disse...

ô q bonitinha a história ^^

Anônimo disse...

Saudade de posts novos aqui nesse blog ;)

yamioh
:*

David

"towma"

Débora Oliveira disse...

Cadê a escritora?

encerr

Jou disse...

legal o post hein junia?
eu fiquei muito tempo sem ler blog nenhum tbem.. hj to de boa em casa e resolvi ler alguns q sigo.. foi uma ótima leitura..
escreve mais, pois hj vc tem 46 seguidores ao inves de 13!!
daqui a uns dias esse seu post vai fazer aniversário e eu estou comentando aqui um post antigo heheheh
acho q nao te contei q um dia desses tava vendo uma série dessas numa madrugada (eu,sem sono algum) tipo 2h da manha e li na tradudora: Junia Vaz. Achei legal.. eu conheço uma tradutora, mesmo q seja virtualmente heheh
abração! DTA!

Wania disse...

Entrei no meu blog e resolvi depois de muitooo tempo sem ler, visitar os blog que sigo e li esse seu da academia, amei, tomara que Deus tambem demonstre carinho pra mim colocando um intrutor que fale portugues tambem, essa é uma das coisas que me assusta e nao me anima ir pra academia rss alem de outras aqui. E porque parou? e as outras coisas que voce disse ia postar aqui? Escritora boa como voce e Mima nao podem parar de postar coisas interessante pra gente ler no blog rss. Bjos norinha

Nadia disse...

eita, esse post é de 2010, vc disse q voltaria pra contar mais historias e ate agora nada!! kkkkkkkkkkk

bjaoooo adorei ler a historinha da academia!! =]

athemp ebscle

Anônimo disse...

escreve mais!

gengle awelept

PS: agora são duas palavras!!! :o